O Anuário Empresarial (AE) chega a sua terceira edição com uma expectativa muito grande de consolidação no mercado. Muitas empresas já entenderam a importância da técnica de Storytelling, para criar uma aproximação mais íntima com os seus clientes. Anúncios de publicidade e propaganda chegam ao nosso alcance todos os dias, seja por mídia exterior (outdoor), seja televisiva; nos meios digitais, em nossos celulares e notebooks. Muitos deles são bem feitos e outros deixam a desejar. A maioria passa despercebida.

O que estamos propondo no nosso anuário é algo muito diferente. A ideia ser um veículo pelo qual as empresas possam contar histórias relevantes, que atraiam a atenção e estabeleçam uma relação mais próxima ao consumidor.

Marcas são feitas para durar. Mas nós sabemos da existência de grandes marcas que perderam a importância, quando não desapareceram. O “cemitério empresarial” está repleto delas. O nome do jogo é confiança, e isso envolve não apenas a imagem do produto, mas também a imagem institucional de quem o produz. Por isso, cada vez mais, as empresas se preocupam com suas imagens corporativas, elas mostram ao público consumidor que estão além das suas responsabilidades mercadológicas, assim como expõem sua responsabilidade ambiental e social. O assunto é tão importante que se tornou um fator estratégico da própria sobrevivência. O AE está consciente de seu papel de comunicar a imagem da empresa, em outra arena que não é a de anúncios comerciais.

Essa edição está muito bem feita, abrilhantada por pessoas que fizeram e fazem a diferença no mercado, aborda ideias, valores, ações e diferenciais de seus negócios. Não menos importante é a sua distribuição. O AE chega as mãos de gestores de diversos segmentos do mercado baiano, por meio de um mailing muito especial que fizemos durante todos esses anos de atuação da empresa, ampliando nosso networking e podendo compartilhar os conhecimentos.

Tudo indica que estamos diante de um Brasil que dessa vez promete. E muito! Voltaremos a prosperar. Esperança de que teremos um mercado melhor, destravado, mais dinâmico. Os números não nos deixam mentir. Mas é preciso que façamos nossa parte. Esse Brasil, agora mais previsível, vem em 2019 com chance para todos que saibam transformar sonhos em realidade. Esta edição, feita com muito carinho, resgata homenagens que deveriam ser sempre feitas. Trata-se de registrar o trabalho pioneiro feito pelos professores João Eurico Matta, Manoel Barros e Antônio Jorge – na área da educação – pelo advogado Antônio Carlos Nogueira Reis, pelo visionário Luiz Pereira de Araújo – no segmento imobiliário – pelos médicos Antônio Carlos Vieira Lopes e Mauricio Nunes, por Paulo Gaudenzi – no turismo de negócios – e de Antônio Wanderley e Osvaldo Nery – no ramo calçadista. Eles são exemplos a serem seguidos. Suas histórias poderão ser apreciadas nesta edição.

Tenham todos uma excelente leitura!
Enio Carvalho e Thiago Araujo

A LAPIDAÇÃO
DO FALSO DIAMANTE

A Marketing Consultoria Ideias e Resultados nasceu com o interesse de servir ao mercado. Tudo que fez e pensou durante seus primeiros anos foi com esse norte. Contribuímos, e muito, para o desenvolvimento e a profissionalização do mercado, trazendo palestrantes, criando eventos de conhecimento, criando debates sobre o assunto, lançando o Painel dos Consumidores, premiando pessoas e empresas que se destacaram, enfim, fizemos um pouco de tudo. Nesse período, o mercado acordou e começou a valorizar mais seus profissionais de marketing. Isso começou a ocorrer nas grandes empresas.

Logo na sua segunda década de existência resolvemos lançar o Top of Mind, que veio a se constituir no farol do mercado de marcas. Ele foi criado em 1995 e, de lá para cá, conferiu a mais de 300 empresas esse título. O Top of Mind hoje é aguardado com grande ansiedade por todos. Ele reflete a realidade das marcas que estão sendo lembradas.

Nesses 24 anos assistimos muitas marcas descerem e subirem nessa gangorra empresarial, sem falar nas que morreram. Temos consciência, está registrado. Lutamos para ajudar a profissionalização e a implantação do marketing na Bahia. Fizemos um plano estratégico que contempla três décadas de trabalho intenso. Concluímos essa etapa ao completarmos 40 anos.

O mercado percebeu o que queríamos. Ombro a ombro seguimos convocando parceiros do quilate de João de Simone, Alberto Oliveira Lima, Silvio Pires de Paula, Francisco Madia e Ronald Carvalho. No curso dessa caminhada, e como não poderia deixar de ser, novos nomes foram surgindo, ideias foram incorporadas, enfim, o dinamismo do marketing mostrava que deveríamos estar atentos. Nessa toada de satisfações e insatisfações foi que mergulhamos em um projeto para criar um meio que divulgasse e unisse todos os envolvidos que gravitavam no mercado da decoração. Surgia o Anuário de Arquitetura e Decoração – A|D, em 2003.

Como tudo que é novo, teve gente que ajudou e gente que bombardeou. Tínhamos a convicção e a consciência de que estávamos fazendo o correto. Nada permitiria que desviássemos do rumo traçado. O anuário tomou conta do mercado. A cada ano nos esforçamos e editamos um exemplar melhor. Por trás disso, a constatação de que fazendo certo, o mercado reconhece. Cinco anos mais tarde, estimulados pelo mercado, nascia o Anuário de Saúde – A|S, que veio para reconhecer o trabalho dos médicos, suas clinicas e hospitais. Também contribuiu muito para servir a um mercado cheio de travas, fruto da ideia de que médicos não precisavam de comunicação. Mais um paradigma
quebrado.

Tudo isso está registrado em dois livros, que lançamos em 1997 e em 2010. O primeiro foi o Marketing, Aprendendo com Erros e Acertos e o segundo sobre o Top of Mind, A estratégia de ser lembrado e reconhecido; ambos com edições esgotadas. Sobre o primeiro livro guardamos com orgulho um registro feito pelo diretor regional da empresa Águia Branca, que disse: “Esse livro traz casos práticos, exemplos simples, críticas ponteadas com ironia, mas sem ofensa, conselhos redigidos por um mestre da abordagem, não cansando a quem o lê. Ele deve ser lido por todos que vivem desse mercado e que precisam de orientações objetivas, e não de receituários cabalísticos”.

Como dizem por aí, provamos que o diamante bruto poderia ser lapidado. E foi. Fizemos uma marca respeitadora e respeitada, ancorada no meu nome como profissional de marketing. Daí vieram os prêmios e os reconhecimentos. Valeu quem nos ajudou, e até quem nos criticou, pois sempre buscamos analisar o que erramos e o que acertamos, como no livro.

Confesso que, no limiar dos meus 70 anos, sentia uma certa apreensão. Deus, que nunca nos abandonou, colocou meu filho no meio do caminho. Ele, que vinha de um mercado altamente competitivo, da Construção Civil, veio juntar-se a nós. Assumia, assim, o comando das operações com toda a garra dos seus trinta e poucos anos. A essa altura, o nosso terceiro anuário, o empresarial, foi testado com o objetivo de contar histórias relevantes de pessoas e empresas através da técnica do “storytelling”.

Começamos em 2016 mostrando o que queríamos com esse novo projeto. Mais uma vez o mercado entendeu nossa proposta. Era chegado a hora de passar o bastão, afinal, com sete décadas de idade, e quatro décadas de trabalho, precisava fazer aquilo que ensinei aos nossos clientes, que se chama sucessão. A gestão plena do meu filho, que colabora conosco desde 2015, teve início nesse ano de 2018. Posso dizer que passou com louvor no teste.

Nossos Anuários continuam respeitadíssimos e queridos por todos. O Top of Mind dispensa apresentações, valorizando as marcas líderes de mercado. Estamos atentos e com os olhos bem abertos para as disrupções. Traçamos uma agenda positiva para os próximos anos. Estamos conscientes de que continuamos a dar nosso melhor. Para esses e todos os projetos que certamente virão. Nossa equipe está muito bem preparada para enfrentar os próximos desafios e certamente para continuar contribuindo com esse mercado, lapidando pouco a pouco esse “falso diamante”.